10.09.2010 às 08:19

A nossa estratégia é o esclarecimento e a conscientização

Sérgio Xavier

Gleyson Ramos - Nov2009 Sérgio Xavier e Marina Silva

Entrevista de Sérgio Xavier ao jornalista Ivo Dantas:

1- O que o senhor acredita que poderia estar sendo feito para desenvolver Pernambuco e foi "esquecido" pela atual gestão?

Sérgio Xavier - Falta ao atual governo empenho e competência para melhorar os serviços públicos de educação e saúde. Houve um pequeno avanço na área de segurança, mas os índices de criminalidade ainda são assustadores. Só em 2010 já ocorreram mais de 2.000 homicídios no estado. Não dá pra comemorar. Também falta visão estratégica de futuro e incorporação do conceito de desenvolvimento sustentável. Os indicadores econômicos são positivos, mas não refletem na qualidade de vida das pessoas e não reduzem as imensas exclusões sociais. O projeto governamental é o mesmo há décadas: crescimento econômico a qualquer custo, mantendo as desigualdades, a concentração de renda, a baixa formação educacional e aumentando a degradação ambiental, que piora a saúde e as condições de vida de hoje e do futuro.

2- Como fazer diferente?

Sérgio Xavier - Priorizando de verdade a educação, pois conhecimento é a saída para todos os problemas humanos. É fundamental garantir recursos, fazendo boas escolhas na hora de definir o orçamento, reduzindo desperdícios, combatendo a corrupção, melhorando a arrecadação e replicando casos de sucesso, soluções simples e baratas que já dão resultados em vários lugares. O conceito de sustentabilidade deve ser incorporado para garantir o equilíbrio de três pilares: fortalecimento da economia, inclusão social produtiva e uso sustentável dos recursos naturais. Sem recursos naturais não haverá empresas, nem empregos, nem saúde, nem perspectiva de vida melhor.

3- Como o senhor vê o atual cenário de disputa no Estado? Acredita ainda ter possibilidades de "virar o jogo"?

Sérgio Xavier - É muito difícil vencer poderosas máquinas eleitorais e a propaganda intensa que hipnotiza as pessoas, com mensagens de que tudo está indo bem. Não achamos que esteja bem. Não é aceitável ter 28,5% de analfabetos acima de 15 anos. Não é aceitável ter mais de 1 milhão de famílias sobrevivendo do Bolsa Familia, sem expectativa de ingresso no mercado de trabalho. Não dá para aceitar crianças e idosos abandonados e gente catando comida no lixo. Nem podemos nos acomodar com a aproximação de um colapso dos nossos recursos naturais. Portanto, mesmo com poucas chances de “virar o jogo” nessas eleições, é fundamental aprofundar o debate, alertar consciências e inserir na pauta novos temas, que não estão nos discursos dos demais candidatos, criando novas perspectivas. Este é o nosso papel: provocar mudança de mentalidades e atitudes. Como o eleitor é soberano, ele é quem determinará o resultado final. E esperamos que a proposta verde tenha grande receptividade e influenciem os demais candidatos a pensarem de forma sustentável. A verdadeira democracia depende de um eleitor crítico e bem informado.


4- O senhor se sente prejudicado por alguma prática de campanha utilizada pelo governador Eduardo Campos?

Sérgio Xavier – A disputa é muito desigual.. Quem não dispõe de recursos, de estrutura e dos apoios subservientes comuns de quem está no poder, fica numa extrema desvantagem. Mesmo tendo propostas inovadoras, conteúdos e experiência administrativa, como no nosso caso. Eleição é uma disputa entre esclarecimento e manipulação. Entre interesses de pequenos grupos e pensamentos estratégicos. Entre idealismo e renovação contra a resistência para deixar tudo como está. A nossa única arma é a informação. A nossa estratégia é o esclarecimento e a conscientização. A nossa única força é o voto crítico, do eleitor independente. É para garantir a oxigenação, a inovação e o idealismo na política que estamos enfrentando firmemente esta batalha.

5- E a disputa para o Senado, Assembléia Legislativa e Câmara Federal? O PV deve crescer sua representatividade no legislativo?

Sérgio Xavier – Esperamos o melhor resultado da nossa história. Pela primeira vez o PV lança candidaturas majoritárias em Pernambuco e uma chapa proporcional independente. É um privilégio ter como candidata ao senado a médica Renê Patriota, que tem uma história de luta em defesa dos direitos na área de saúde, reconhecida na capital e no interior. Com a histórica candidatura de Marina Silva o PV está se popularizando e isso vai refletir na eleição dos nossos deputados e deputadas.

6- Por se tratar de um partido menor, o PV não tem tanto tempo na TV e Rádio. A internet pode ser uma saída?

Sérgio Xavier – Sim, a internet é um canal fundamental de comunicação. Usaremos as redes digitais para informar, interagir e envolver as pessoas na construção colaborativa de propostas. O foco é agregar ideias inovadoras e motivar a participação política consciente. A internet é o meio ideal para instigar a criatividade e a inteligência coletivas, interligando pensamentos afins. Estamos articulando ativistas virtuais, voluntários. Há muitos idealistas na web que se dispõem a colaborar espontaneamente por acreditar nas propostas arrojadas do PV.